PUKKA GIN – O NOVO PORTUGUÊS

Pedro Vieira, o criador por trás de Pukka Gin, esteve 7 anos emigrado em Angola. Cá, como lá, procurou sempre a felicidade, algo que só julgou ser possível junto da sua família e a laborar no que gostava. Foi assim que preparou o seu regresso e deu inicio a mais esta aventura, a produção de um Gin desde a sua raiz.
Na procura de uma diferenciação total face à oferta existente, refugiou-se na bonita Serra do Caramulo onde recorrendo a um velho alambique de família iniciou os testes que o levariam à receita de Pukka Gin. Começou por destilar toda a massa de botânicos em conjunto mas cedo percebeu que os resultados pretendidos só poderiam ser atingidos com destilações individuais de cada um dos botânicos, fazendo o blend no final. Pukka Gin é assim um Gin destilado nove vezes em alambique de cobre, sempre em pequenos lotes para maior controlo da sua qualidade.
Pukka Gin foi buscar o seu nome às culturas Hindi e Urdo, onde significa literalmente “cozido maduro” ou mais figurativamente “Totalmente formado”. Na gíria significa “genuíno” ou “muito bom”. Pukka foi também o nome de um puro-sangue, campeão nos anos 40, propriedade do milionário Cornelius Vanderbilt. Em sua homenagem o rótulo da garrafa é dominado pela silhueta de um cavalo em pose desafiante e poderosa.
Num total de 8 botânicos, o hibisco, o cardamomo, o gengibre e a casca de laranja representam, para lá do omnipresente zimbro, os principais papéis.
No nariz e no palato mostra toda a sua raça sendo pujante e assumidamente marcante. As notas de zimbro e cardamomo desafiam-se no inicio, sempre suportadas pela frescura picante do gengibre e o cítrico da laranja. O final é seco e ligeiramente floral.